A Traqueostomia Como Causa de Disfunção da Deglutição

 Estudamos através do método videofluoroscópico a participação da fixação traqueo-cutânea, passível de ser determinada pelas traqueostomias, nos processos de disfunção da deglutição .  Em um conjunto de 112 pacientes, com queixas de disfagia examinados através da videofluoroscopia no Serviço de Radiodiagnóstico do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, quatro (4) haviam sido traqueostomizados. Um, (fem, 52anos.) portando ainda cânula endotraqueal metálica e três outros, ( 2 fem e 1 masc. / 40 a 66anos) apresentando cicatriz longitudinal anterior retrátil, com mais de cinco anos  pós traqueostomia. Dois dos pacientes tinham quadro neurológico associado. As observações videofluoroscópicas foram efetuadas utilizando-se como meio de contraste líquido a solução de sulfato de bário e como meio de contraste sólido e pastoso, volumes variados de massa de pão e bário. Nossas observações  apontaram para a participação da fixação tráqueo-cutanea  nas disfunções da dinâmica da deglutição. A interferência da  fixação tráqueo-cutânea  se processou basicamente por impedimento ao livre deslocamento hio-laríngeo. O deslocamento  inadequado  dificultou a ampliação da laringo-faringe e a abertura da transição faringo-esofágica, e ainda manteve o ádito laríngeo próximo a  transição.  Pudemos observar que nos quatro pacientes  traqueostomizados  houve disfunção da deglutição, caracterizada por permeação das vias aéreas pelo meio de contraste que era  seguida por limpeza produzida por expiração forçada. Em três dos pacientes este fato esteve  nitidamente ligado a traqueostomia.   Pudemos admitir que a fixação tráqueo-cutanea pode ser causa isolada de disfagia. O significado desta fixação cresce, pela possibilidade de potencializar causas  associadas e por poder  cursar mascarada por doenças de  maior monta. Ficou  evidente que a participação  das fixações tráqueo-cutaneas podem ser melhor  qualificadas com o uso do método videofluoroscópico. 
Descritores
: videofluoroscopia, traqueostomia, disfagia, aspiração.

Costa MMB.
Avaliação videofluoroscópica da relação entre traqueostomia e dificuldade de deglutição. ArqGastroenterol, São Paulo, v.33, nº 3, 124-131,1996

Swallowing defects determined by trqueostomy

Abstract:
 We have studied  the interference on swalowing  of the  skin-tracheal fixation determined by tracheostomy. We have analysed this interference by videofluoroscopy. One hundred and twelve (112) patients with complain of dysphagia have been studied by videofluoroscopy  at the Hospital Universitário  Clementino Fraga Filho. Four (4) have undertaken tracheostomy. One, (female,52 years)  had already a metal cannula in the trachea, three (3) others ( 2 females and 1 male / 40 to 66 years ) exhibited a longitudinal anterior depressed  scar, for more than five years. Two patients had also a neurological disease. In the videofluoroscopic observation it was used liquid medium (barium solution) and  also solid  and soft contrast media  made of  barium powder mixed with a bread dough.   We have found  a  correlation between   skin-tracheal fixation  and  swallowing  defects. The skin-tracheal fixation interference occurs  basically  by opposition to the hyo-larynx free displacement. This limited displacement   determines  a small  amplification of the laryngo-pharyngeal  space ,   a restrictive opening  of the pharingo-oesophageal  segment  and also determines that the laringeous aditus remains  near  the pharingo-oesophageal  limit.  We have observed  swallowing defects in all the four tracheostomized patients.    The observed defects relative to tracheostomy  was  the penetration  of contrast  medium in the airway.  This penetration was  cleared  by  forced expiration.  In three  patients  the swallowing defects  was  clearly linked  to tracheostomy.  We  can  admit  that  the skin-tracheal fixation,  without any other pathology , can determine  dysphagia.  In association   with other diseases  this fixation  can increase the disturbance.  On the other hand  it can run unnoticed  due to more evident pathology.  The consequence  of skin-tracheal fixation  is  better determined  by  videofluroscopy.
Headings: Videofluoroscopy, tracheostomy, dysphagia, aspiration